INTERVIEW | Gonçalo M. Catarino


Gonçalo M. Catarino

O Gonçalo M. Catarino é um dos fotógrafos com quem espero poder vir a trabalhar no futuro. Admiro o seu talento e, depois de o conhecer (digitalmente pelo menos), passei a admirar também a sua simpatia e disponibilidade. Para além de fotógrafo (de moda e retratos principalmente), o Gonçalo tem ainda um blog e é uma das mentes por detrás de um dos projetos que mais gosto de seguir atualmente, o site KAEOT, que mostra o outro lado de alguns dos melhores modelos e designers do nosso país. E é com enorme contentamento que hoje partilho convosco o resultado de uma pequena entrevista que o Gonçalo tão gentilmente aceitou fazer. Espero que gostem! Continuem a ler... e boa Segunda-feira :)


Gonçalo M. Catarino is one of the photographers with whom I hope to be able to work in the future. I admire his talent and, after meeting him (digitally, at least), I started to also admire his kindness and availability. In addition of being a photographer (fashion and portraits mostly), Gonçalo also has a blog and is one of the minds behind one of the projects I most enjoy following at the moment, KAEOT, that shows the other side of some of the best Portuguese models and designers. And it's with great joy that I'm sharing with you today the result of the interview that Gonçalo so kindly agreed to do. I hope you enjoy! Keep reading ... and good Monday :)























Fala-nos um pouco sobre ti.
Chamo-me Gonçalo M. Catarino, tenho 34 anos e sou natural de Lisboa.

Quando e como surgiu a paixão pela fotografia?
A fotografia surgiu há já uns bons anos como hobby. Sempre gostei bastante de tecnologias e o meu gosto pela fotografia começou a crescer na altura em que surgiram as primeiras máquinas digitais. ​Qu​ando​ ​ia de férias ou passear, a máquina acompanhava-me sempre e durante muito tempo só fotografava paisagens e natureza. Posteriormente comecei a fotografar amigas minhas e mais tarde descobri a fotografia de moda.

Analisando o teu portfólio noto uma predileção pela fotografia a Preto e Branco. O que tem de especial, para ti, este gênero de fotografia?
Na maioria das vezes, é algo simplesmente intuitivo. É mais natural para mim pensar numa imagem/composição a preto e branco, talvez porque sinta que isso lhe dá um certo carácter intemporal. E para mim, as boas fotografias são aquelas que continuam a ser boas passados 20 ou 30 anos.
E sendo que hoje em dia tudo é descartável e que toda a gente tem fotografias aos pontapés, acho que o grande desafio para alguém que pega numa máquina, é fazer algo que se mantenha por muitos e bons anos!

Dos trabalhos que já tiveste oportunidade de fazer e das pessoas com quem já trabalhaste, algum que te tenha marcado especialmente?
Diria que o primeiro editorial em que tive de tratar de tudo praticamente sozinho, foi talvez o mais marcante. Em relação a pessoas com quem trabalhei... todas as pessoas me marcaram de uma forma ou de outra, mas o Mário Príncipe foi talvez o principal, por ter sido ​quem  realmente me introduziu à fotografia de moda.

Quais os fotógrafos que mais admiras e porquê?
short list que está sempre a variar... acompanho vários fotógrafos/as, mas assim de repente,​ ​tentando dar-te poucos nomes​...​ Admiro bastante o trabalho do Peter Lindbergh pelo seus notáveis retratos a preto e branco, a dupla Mert & Marcus pela forma como trabalham a luz e a cor e o Greg Kadel, não só pela forma como trabalha o preto e branco, mas também pela atitude que a maioria das imagens dele transmitem.

Se pudesses fotografar com qualquer pessoa do mundo, viva ou morta, quem seria e porquê?
​É​ muito difícil responder a essa pergunta, porque normalmente avaliamos/admiramos um/a fotógrafo/a, modelo, artista, etc, pelo seu trabalho, mas esquecemo-nos da pessoa em si. Poderia mencionar muitos nomes conhecidos, mas a verdade é que não conheço nenhuma delas e a personalidade e carácter é algo que me atrai nas pessoas. Por isso, escolheria alguém que estivesse disposta a ouvir as minhas ideias, a trocar opiniões e acima de tudo, que acreditasse e respeitasse o meu trabalho.

Criaste recentemente um blog. Como surgiu a ideia e o que podemos encontrar por lá?
Sempre valorizei pouco a escrita, mas acho que pode ser um ótimo exercício criativo e esse foi o ponto de partida para mim. Depois, achei que fazia sentido porque no Facebook e no Instagram, as pessoas praticamente só ligam às fotografias e aos vídeos. Mesmo que coloques uma descrição, poucos são os que as lêem e penso que quem segue blogues, está mais predisposto a ler posts. Por fim, o blog parece-me ser também uma boa plataforma para mostrar alguns trabalhos que não divulgo tanto no Facebook ou Instagram e para abordar questões que as pessoas me queiram colocar ou temas sobre os quais gostassem de ouvir a minha opinião.

Imaginas-te a fotografar até seres velhinho ou tens outros planos para o futuro?
Para te ser muito sincero, nesta fase da minha vida não consigo fazer planos a tão longo prazo. Mas se não for a fotografar, estarei com certeza a fazer algo que me permita criar!

Uma cidade que te inspire.
Copenhaga.

Numa palavra, e para terminar, como está a ser o ano de 2016?
Desafiante!








































Tell us a bit about yourself.
My name is Gonçalo M. Catarino, I'm 34 years old and I'm from Lisbon.

When and how did the passion for photography started?
Photography appeared a number of years as a hobby. I always quite liked technology and my passion for photography began to grow at the time the first digital cameras appeared. When I went on vacation or sightseeing, the camera always accompanied me and for a long time I just took pictures of landscapes and nature. Later I started photographing my friends and after that I discovered fashion photography.

Analyzing your portfolio I notice a predilection for Black and White photography. Why is this type of photography so special to you?
Most of the time, is something simply intuitive. It's natural for me to think of an image/composition in black and white, perhaps because I feel it gives a certain timeless character. And for me, the good photos are those that are still relevant after 20 or 30 years.
And since today everything is so disposable and that everyone has a lot of photographs, I think the big challenge for someone who picks up a camera, is to do something that continues to be interesting for many years to come!

From the work that you already had the chance to do and the people you have met, what (or who) left a special mark?
I would say that the first editorial in which I had to deal with everything almost by myself, was perhaps the most striking. Regarding the people I worked with ... all people have makrked me in one way or another, but Mario Príncipe was perhaps the principal, for being who really introduced me to fashion photography.

Which photographers do you admire most and why?
The short list that always vary... I follow several photographers, but trying to give you just a few names... I quite admire the work of Peter Lindbergh for his remarkable black and white portraits, the duo Mert & Marcus for their work with light and color and Greg Kadel, not only for the way he works in black and white, but also the attitude that most of his images convey.

If you could shoot anyone in the world, dead or alive, who would it be and why?
It's very difficult to answer this question, because normally we admire a photographer, model, artist, or whatever, for their work, but we forget the person behind it. I could mention many well-known names, but the truth is I don't know any of them and the personality and character is something that attracts me in people. So I'd choose someone who was willing to listen to my ideas, exchange points of view and, above all, that believed and respected my work.

Recently you created a blog. How did the idea came from and what can we find there?
I always undervalued writing, but I think it can be a great creative exercise and that was the starting point for me. Then I thought it made sense because in Facebook and Instagram people pretty much just pay attention to the photos and videos. Even if we write a description, few read it and I think those who follow blogs, are more likely to actual read what I'm writting. Finally, the blog seems to me to be a good platform to showcase some of my work that I don't divulge on Facebook and Instagram and to address issues/questions that people ask me.

Do you imagine beeing a photographer until you are a old men or do you have other plans for the future?
To be very honest, at this stage of my life I can't make long-term plans. But if I'm not shooting, I'll be surely doing something that would allow me to create!

A city that inspires you.
Copenhagen.

In a word, how it's 2016 beeing?
Challenging!


Comments


img-responsiva